quarta-feira, 27 de julho de 2011

MEU PIN CAIU Parte II (purgatório)

Depois do que se falou no intermezzo, fiquei sem graça de contar minhas desventuras para recuperar a plena funcionalidade do meu PIN.  Teve muito mais de Kafka que de Alighieri.  E nenhuma graça.

Cheguei a sentir-me qual uma barata pelo tratamento dado pelos “help deskers”  a um funcionário considerado imbecil por falar PIN e não  PEIN _ “Personal Identification Number”.

E eu que pensei que meus problemas acabaram-se com o restabelecimento do meu cartão azul, vi-me nas garras de uma “Organizações Tabajara”. Senti saudade do “disque um se o problema for com a sua linha”  da TIM. Na Receita,  “Help Desk” tem secretária para dizer que o chefe está de férias e o substituto em reunião.

A espera no telefone não é com a sinfonia n. 40 em caixinha de música, é Exaltasamba de FM, com direito a publicidade das Casas Bahia no intervalo. Sim, porque o meu problema era tão grave que durante o “atendimento” deu para deleitar-me com “Um Minuto”, por longos 3’17’’ e  “Prá falar Tanta Besteira” por outros três minutos e treze segundos. Depois de tanta exaltação, quando eu já estava interessado em saber quanto estava custando uma geladeira no “Ricardo”, um rapaz me falou que não era com ele e passou para um outro número.

E de número em número, passei por cinco, ouvi Djavan, Roberto Carlos e soube que a geladeira 260 Litros Duplex Cycle Defrost DC34A Branco – Electrolux estava em oferta por R$ 999,00, mas, ao fim, meu problema só poderia ser resolvido com uma “consulta particular” o que significaria descer novamente ao inferno.

Para encurtar a história, meu problema era que minha caixa notes chamava-se Helder.Rocha,  meu certificado eletrônico era Helder Luís Gondim Rocha; para consertar o “embroglio” eu teria que usar o E-fau, que precisava da caixa notes, que precisava ter o mesmo nome do PIN.

Lembrei porque meu nome era só Helder.Rocha no Notes: Há coisa de 20 anos atrás, no tempo da CI Circular e do Telex-Lex. Eu comprara uma briga para implantar correio eletrônico na Receita. Consegui um para mim no Ministério da Fazenda, mas só usava com o Serpro, na SRF, ninguém nem sabia o que era Zé Meio.

Quando anos depois, o Coordenador da Cotec e o presidente do Serpro foram aos Estados Unidos da América e de lá trouxeram a última maravilha dos Sábios da Babilônia _ O Notes, minha caixa-postal foi das primeiras implementadas e chamava-se Helder.Rocha. E assim ficou por mais de quinze anos até que por conta da broxura do meu PIN  resolveram que não mais poderia permanecer.

Pois que mudem, falei conciliador. Só podemos mudar o nome da caixa com sua presença, respondeu-me o quinto telefonema.

Jurei que não iria mais ao infra-solo. Foi quando escrevi Meu PIN Caiu e resolvi tomar uma providência que me levaria ao paraíso, sem as quarenta virgens, mas, em vista do passado, um verdadeiro paraíso.

Ver Mais : MEU PIN CAIU (INTERMEZZO)
                 MEU PIN CAIU Parte I (INFERNO)

3 comentários:

  1. Caro Helder, Autoridade Típica de Estado:

    É evidente o vosso intuito de achincalhar o uso do broche de lata, também conhecido pela sigla “PIN”, por meio desta metáfora.
    No entanto, o nobre colega deveria valorizar e, mesmo, divulgar o uso do mesmo, uma vez que tal símbolo representa o status de uma Carreira Típica de Estado. Senão vejamos:

    Desde que passei a utilizá-lo - sobre um bom terno chino-italiano, é claro -, o PIN devolveu automaticamente a minha autoridade, sem qualquer necessidade de alteração do Regimento Interno.

    Até meus filhos fitam, orgulhosos, o referido broche – o MPF que carrego na mão direita passa despercebido!

    Além disso, desde que passei a ostentar este símbolo de nossa Carreira Típica de Estado, e a dialogar estrategicamente, por longos períodos, com interlocutores do Governo, muitos colegas passaram a me chamar de Guia Genial das Autoridades Fiscais.

    Só tenho uma queixa - embora a relação com o uso do PIN ainda não tenha sido inteiramente comprovada -: meu consumo de café aumentou substancialmente.

    ResponderExcluir
  2. Caríssimo Auto Alcunhado Delavenue, acho que o senhor está querendo se passar por quem não é e com isso achicalhar uma autoridade atípica. Mostre sua carinha como seguidor do Blog e eu levo a sério seus comentários.

    ResponderExcluir
  3. ZAELITE DANTAS TEIXEIRA31 de julho de 2011 17:39

    MUITO BEM! COLEGA HELDER... GOSTEI DO SEU CHAMADO...MANDOU BEM!
    ABS,
    ZAZÁ

    ResponderExcluir

Seu comentário é bem acolhido e será sempre publicado se não contiver conteúdo ilegal.